Só sei que nada sei!

Filósofo autodidata

Contato
Ralph Rangel
Ralph Rangel - Filósofo
Filosofia

O Filósofo, de acordo com o senso comum:

Qualquer pessoa pode ser um filósofo, conquanto que possua suas faculdades intelectuais plenamente em funcionamento, pois se a racionalidade é a primeira exigência para que alguém se torne filósofo, e se todos os homens possuem racionalidade, logo todo ser humano pode tornar-se filósofo.

Não é necessário possuir um conhecimento formal em filosofia, nem construir um sistema, nem tampouco ter o aval da instituição que confere o título de filósofo. Isto é: Que, tal qual um dia defendeu Aristóteles, a filosofia nasce de um sentimento, não de uma formação acadêmica ou de um título conferido por homens.

Cronologia da filosofia:

séc.VI a.C.

Início da filosofia ocidental com Tales de Mileto.

Fim do séc.

Morte de Pitágoras.

VI a.C. 399 a.C.

Sócrates condenado à morte em Atenas.

c.387 a.C.

Platão funda a Academia em Atenas, a primeira universidade.

335 a.C.

Aristóteles funda o Liceu em Atenas, escola rival da Academia.

324d.C.

O imperador Constantino muda a capital do Império Romano para Bizâncio(Constantinopla).

400d.C.

Santo Agostinho escreve as Confissões. A filosofia é absorvida pela teologia cristã.

410 d.C.

Saque de Roma pelos visigodos. Anuncia o advento da Idade das Trevas.

529 d.C.

O fechamento da Academia em Atenas pelo imperador Justiniano marca o fim do pensamento helenista.

Meados de 1200

Tomás de Aquino escreve seus comentários sobre Aristóteles. Era do séc.XIII, a escolástica.

1453

Queda de Bizâncio para os turcos, fim do Império Bizantino.

1492

Colombo chega à América. Renascimento em Florença e renovação do interesse pela aprendizagem do grego.

1543

Copérnico publica De revolutionibus orbium caelestium (Sobre a revolução dos orbes celestes), provando matematicamente que a Terra gira em torno do Sol.

1633

Galileu é forçado pela Igreja a abjurar a teoria heliocêntrica do universo.

1641

Descartes publica as Meditações, início da filosofia moderna.

1677

A morte de Spinoza permite a publicação da Ética.

1687

Newton publica os Principia, introduzindo o conceito de gravidade.

1689

Locke publica o Ensaio sobre o entendimento humano. Início do empirismo.

1710

Berkeley publica os Princípios do conhecimento humano, levando o empirismo a novos extremos.

1716

Morte de Leibniz.

1739-40

Hume publica o Tratado sobre a natureza humana, conduzindo o empirismo a seus limites lógicos.

1781

Kant, despertado de seu “sonho dogmático” por Hume, publica a Crítica da razão pura. Início da grande era da metafísica alemã.

1807

Hegel publica a Fenomenologia do espírito: apogeu da metafísica alemã.

1889

Nietzsche, após declarar que “Deus está morto”, sucumbe à loucura em Turim.

1921

Wittgenstein publica o Tractatus logicophilosophicus, advogando a “solução final” para os problemas da filosofia. década O Círculo de Viena apresenta o positivismo lógico.

1920 1927

Heidegger publica Sein und Zeit (Ser e tempo), anunciando a ruptura entre a filosofia analítica e a continental. 1943 Sartre publica L’être et le néant (O ser e o nada), dando continuidade ao pensamento de Heidegger e instigando o surgimento do existencialismo.

1953

Publicação póstuma das Investigações filosóficas, de Wittgenstein. Auge da análise lingüística.

Enviar e-mail